Estão em nosso universo

sábado, 2 de abril de 2011

Moça com Brinco de Pérola

The girl with a pearl earring - (Meisje preenchidas de Parel) c.1665-1667. Óleo sobre tela. 18 1/4 x 15 3/4 polegadas (46,5 x 40 cm). Mauritshuis, Haia.


Trata-se da obra mais conhecida de Vermee e foi restaurada em 1994.
Possui beleza atemporal.
Observe a posição da cabeça, a sua pureza, a frescura, radiância, sensualidade. São características evidentes da digital artística de Vermeer.
Na verdade a obra nos dá a impressão de que Vermeer afirma em forma de imagem que a A moça é uma pérola.
Ela brilha em contraste com o fundo negro. Provoca o olhar do espectador,é despojada, sem proteção das emoções humanas, possui intensidade erótica ,é tão humana e simples.
O relacionamento maior esta em admirar esta imagem, não importa ainda que envolva em mistérios quanto à origem da modelo ou a intenção do autor.





A obra na moldura
1665- 1667
oil on canvas
18 1/4 x 15 1/4 in. Dimensões (46.5 x 40 cm.)
Maurithuis, The Hague

O efeito de brilho nas roupas e nos lábios são características marcantes em Vermeer. Há o mesmo brilho nos lábios em A Moça com chapéu vermelho.

Os sinais e os padrões deixados pelo pintor são tão convincentes que, embora possa haver a questão da identidade, questionar sua autenticidade, o mundo parece ter se transformado em pintura e Vermeer tornou-se indiscutível o seu mestre.
O turbante foi pintado com azul ultramar e, lápis lazuli, detalhe interessante, pois não era comum o uso desses tons por seus contemporâneos, visto que eram muito caros e raros. A pérola na iconografia simboliza a virgindade A da obra é de formato de gota, pois era moda entre as senhoras nesse período da história.
Devido à situação econômica de Vermeer, há especulação sobre a pérola ser artificial, pois foi nesse período que M. Jacquin havia inventado as pérolas de vidro com tecnologia trazida do oriente, mas esse detalhe em nada ofusca o brilho que o artista conseguiu nessa obra.
Há ousados empastos ou sobreposições de tinta branca, representado algum tipo de vestuário usado sob a roupa caipira de cor amarelo ocre. Suspeita-se que seja um tipo de roupa íntima desgastada, usada pela modelo de Vermeer. Com o tempo e provavelmente com as restaurações, infelizmente tem perdido muito o seu devido caráter e textura, pois são usados ferros quentes para o realinhamento das fibras da tela. O sobretudo amarelo ocre usado pela menina é único na obra de Vermeer e é, provavelmente, criação do pintor.
A capa envolve os ombros da moça e não é vestuário habitual naqueles tempos.
É um vestido especial, incomum, diferente e de cor atrativa. É como se fosse uma fantasia dessas que crianças gostam de vestir

Bem como outros pintores europeus, Vermeer desfrutava do mesmo gosto em introduzir uma nota exótica em suas pinturas e congratulou-se com a possibilidade de mostrar em seu processo criativo o uso desse turbante incomum.

Escrito por: Eliana Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, pois enriquecem o conteúdo dos artigos.

Desenhos na Calçada Julian Beever

Dicas de livros, filmes, música...

  • The Cure
  • Modigliani - Paixão pela Vida - Diretor: Mick Davis
  • Blade Runner: O Caçador de Andróides
  • Nosferatu. (1922) - Bram Stoker
  • O outono do patriarca - Gabriel G. Márquez
  • Contos de fadas politicamente corretos - J. F. Garner
  • Contos de Enganar a morte - Ricardo Azevedo
  • Meu filho, minha filha - Carpinejar

Quem sou eu

Minha foto

Professor de Artes da SEDF, Bonequeiro na Cia. Titeritar, artista plástico colaborador no blog: http://ateliartsaofrancisco.blogspot.com.br/ e autor dos blogs: http://universosdarte.blogspot.com.br/ e http://www.titeritar.com.br/