Estão em nosso universo

domingo, 1 de maio de 2011

Midias sociais teriam impacto na vida política

Estudo nos Estados Unidos diz que a internet fomenta engajamento em grupos diversos.
A imagem do internauta costumava ser a de uma pessoa que se escondia atras do computador, com um perfil individualista. Hoje, com as redes sociais e o Twitter, esse conceito caiu por terra. Pesquisa recente do Pew Research Center nos Estados Unidos com
2.303 pessoas a partir de 18 anos revelou que 80% dos usuários da grande rede participam de grupos e organizações voluntarias de caráter social, politico ou religioso. Entre os que tem Facebook (ou outra rede social) e Twitter, esse numero sobe para 82% e 85%, respectivamente.
Cinquenta e três por cento dos internautas membros de um grupo acreditam que as mídias sociais os ajudaram a influenciar na politica, levando um candidato a ser eleito, e 46% acham que as interações on-line levam a maior conscientização sobre um assunto.

Outros 38% dizem que a internet pode trazer mudanças a sociedade, e 33% acreditam que a atuação dos grupos na rede torna mais fácil levantar dinheiro para uma causa.
De todos os ouvidos, 75% dos internautas afirmaram que a rede tem um grande impacto na comunicação entre os membros de um grupo, e 68% disseram que as mídias sociais ajudam os grupos a chamar a atenção para um assunto. A conexão com outros grupos
também se torna mais dinâmica, bem como a organização de atividades, segundo 67% e 65% dos usuários ouvidos, respectivamente. Ja 64% acreditam que esse fenômeno tem alto impacto social.
Mais da metade (55%) dos internautas entrevistados diz que as mídias sociais permitem recrutar novos membros para os grupos com maior rapidez, enquanto 35% opinam que os grupos com recursos on-line tem menos problemas em encontrar pessoas para assumir funções de liderança.
Uso de Facebook e Twitter promove interação maior
As mídias sociais também permitem acesso em tempo real a noticias e informações sobre os grupos, segundo 53% dos pesquisados, enquanto 36% se sentem mais propensos a convidar amigos para fazer parte das associações.
O uso de Facebook, Twitter e mensagens SMS do celular só faz aumentar a interação dentro dos grupos e com outros grupos. Sessenta e dois por cento dos internautas do estudo estão no Facebook, 74% mandam SMS regularmente e 12% recorrem ao Twitter.
Entre os usuários ja envolvidos em grupos diversos, 48% dizem que essas associações tem perfis no Facebook, enquanto 30% montaram blogs e 16% se comunicam bastante através do Twitter.
As redes sociais mantem os membros dos grupos informados. 65% dos que estao nelas leem constantemente mensagens e updates sobre o que esta acontecendo com a comunidade, e 30% postam noticias sobre as atividades.
Dos tuiteiros, 63% acompanham sempre os tweets sobre seus grupos, e 21% também postam sobre eles. Finalmente, 45% contam que enviam e recebem mensagens de texto com as ultimas novidades.
Nem todos concordam com as conclusões do Pew. John Biggs, editor do site Crunch-Gear contextualizou: – O estudo e uma boa noticia, mas confere a internet um poder sobre eventos sociais e políticos que ela pode ter ou não – ponderou no site.
No fim das contas, a internet e só um meio de comunicação que reduz o custo de atingir milhares de pessoas.
Para Kristen Purcell, diretora de pesquisa do Pew, o uso das mídias sociais e o ingresso em grupos afeta o comportamento das pessoas.
Uma das coisas que chamam a atenção é como as pessoas ficam mais engajadas uma vez que entram ativamente num grupo – comentou ela no estudo. – E, embora muitos gostem da dimensão social desse envolvimento, o que eles querem mesmo e obter algum impacto.
Muitos dizem que, pertencendo a um grupo, alcançaram algo que não haviam conseguido lograr sozinhos.

fonte: Blog do Mesquita

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, pois enriquecem o conteúdo dos artigos.

Desenhos na Calçada Julian Beever

Dicas de livros, filmes, música...

  • The Cure
  • Modigliani - Paixão pela Vida - Diretor: Mick Davis
  • Blade Runner: O Caçador de Andróides
  • Nosferatu. (1922) - Bram Stoker
  • O outono do patriarca - Gabriel G. Márquez
  • Contos de fadas politicamente corretos - J. F. Garner
  • Contos de Enganar a morte - Ricardo Azevedo
  • Meu filho, minha filha - Carpinejar

Quem sou eu

Minha foto

Professor de Artes da SEDF, Bonequeiro na Cia. Titeritar, artista plástico colaborador no blog: http://ateliartsaofrancisco.blogspot.com.br/ e autor dos blogs: http://universosdarte.blogspot.com.br/ e http://www.titeritar.com.br/